Moagem
de Farinha de Trigo

O Plano Financeiro, já reflecte os saldos acumulados de tesouraria, e apresenta saldospositivos em todos os anos do período em análise. Após o início do projecto, podemos considerar que o mesmo é auto-suficiente em termos de geração de recursos que permitam a sua sustentação financeira.

Os saldos do plano financeiro estão reflectidos no balanço previsional, quer do lado do Activo, como isponibilidades se positivos, quer do lado do Passivo, para outros credores se negativos.

No gráfico seguinte podemos visualizar a evolução dos saldos de tesouraria anuais, podendo perceber-se que são positivos em todos os anos do projecto, assumindo uma tendência crescente, constituindo uma garantia importante para os investidores face á capacidade de geração de meios para o cumprimento das responsabilidades do
projecto:

Balanço previsional apresentado, revela uma situação líquida positiva (97% do Activo total, no Ano 0), que se deteriora marginalmente no ano 1 (96%), mas que tendencialmente estabiliza nos anos seguintes do período da projecção (96% do Activo), sintoma da saúde económico – financeira do projecto, e da boa capacidade de geração de fundos, revelando uma independência elevada dos credores da sociedade.

Económico – Financeiros

Neste domínio, preparámos vários rácios que espelham o comportamento da exploração nos primeiros anos:
• As vendas reflectem crescimentos anuais significativos nos primeiros anos, por um lado devido á alteração da taxa de utilização da capacidade produtiva, e por outro lado, devido ao efeito inflação;

• A rentabilidade líquida das vendas varia entre 11% no Ano 2 (2020), e 16% no
Ano 10, o que se pode considerar uma rentabilidade relevante, face ao sector
em que se insere o negócio;
• A rendibilidade do Activo é satisfatória, assumindo uma taxa média anual de cerca de 12,2% durante o período da projecção, em certa medida, devido á base do investimento ser elevada;
• A rendibilidade média anual dos Capitais Próprios, no período do projecto (Ano
1 – Ano 10), tendo em conta a base elevada dos Capitais Próprios, atinge uma taxa média de 12,9% ao ano;
• A autonomia financeira obtida para o período do projecto, atinge níveis bastante elevados, devido á relevância dos resultados da exploração anuais;
Face aos pressupostos considerados e aos indicadores económico – financeiros obtidos, é de destacar a boa erformance económico-financeira do projecto:

Our
solutions

Liquidez

A liquidez geral, a partir do ano 1, revela um nível acima do normal (maior que 2), em grande medida devido á capacidade do projecto para a libertação de meios, para além do facto de não terem sido consideradas medidas alternativas para aplicação dos excedentes de liquidez.

A liquidez reduzida também atinge níveis de conforto elevados, e segue
comportamento idêntico:

Risco do Negócio

Tendo em conta os pressupostos anteriormente apresentados, o projecto apresenta Proveitos Brutos superiores ao Ponto Critico de vendas, a partir do Ano 1 do projecto, denotando uma margem de segurança positiva de 85%, que se eleva a partir do Ano 2 para 153%, e níveis superiores nos anos seguintes, para maior segurança do projecto.

Dimensão

Destaque particular para o valor positivo elevado dos Cash – Flows (USD), a partir do Ano 1 de actividade do projecto, revelando uma boa capacidade de auto - financiamento da actividade. O VAB atinge valores muito confortáveis, constituindo um óptimo indicador da contribuição do projecto para a formação da riqueza nacional.

IMPACTO
DO PROJECTO SOBRE O EMPREGO

Emprego

Não obstante os indicadores já comentados, não será por demais reforçar, a importância do projecto para a criação de emprego, sendo de destacar 190 postos de trabalho a criar a partir do Ano 3 do projecto.

ANÁLISE DE SENSIBILIDADE

Finalmente, importa verificar como se comportam os principais indicadores de avaliação do projecto em função de uma alteração no preço de venda dos produtos finais. Da análise do quadro a seguir representado, podemos inferir as seguintes conclusões:


1. Considerada a realidade actual, isto é, o modelo de gestão adoptado, a
estrutura de investimento, de financiamento, e de produção, aos preços de comercialização considerados no estudo, é viável a exploração numa lógica privada, uma vez que obtemos valores confortáveis, quer para o VAL, quer para a TIR (Cenário Base); 


2. Se o preço de venda (USD) por tonelada, de cada um dos produtos, baixar até 9,025% em relação aos preços considerados no estudo, o projecto ainda continua a merecer a viabilidade económica, ficando no entanto no seu limiar;

3. Finalmente, se o preço de venda (USD) por tonelada, de cada um dos
produtos, registar subidas, sejam elas quais forem, mas que para efeitos
comparativos, consideramos apenas 5%, mantendo-se constante todos os
restantes custos, as conclusões sobre a viabilidade saem reforçadas, como
seria de esperar

CONCLUSÃO

O presente estudo de viabilidade económica, técnica e financeira, elaborado para a KIKOLO, S.A., no âmbito do investimento a realizar na implementação de uma moagem de trigo, na localidade do Kikolo – Cacuaco, Província de Luanda, permitiunos aferir das condições macroeconómicas e socioeconómicas em que o projecto se irá mover, bem como sobre as características da zona de implantação. Complementarmente, contribuiu para a verificação das condições existentes para a exploração da actividade de moagem de trigo na zona de instalação do projecto, e
ainda para a avaliação do estádio de desenvolvimento do sector, o enquadramento da indústria no sector e no mercado angolano, e as perspectivas futuras do negócio,
tendo-se concluído pela existência de alguma concorrência interna ao nível da moagem de trigo, de algum relevo, mas que não constituirá um entrave para o sucesso do projecto, face á ambição de comercialização de farinha de trigo e farelo de farinha de trigo num mercado em crescimento, e de se potenciar a diversificação do negócio
para a área da panificação e das massas alimentícias, em fase posterior.
O investimento total a realizar pela empresa ascende a 57.936.996,00 Dólares Norte- Americanos, incluído o investimento em imobilizado incorpóreo, corpóreo e fundo de maneio, cuja cobertura se encontra prevista através de 95,56% de Capitais Próprios, e de 4,44% de Meios Libertos da empresa.
Adicionalmente, identificaram-se os produtos a produzir (farinha de trigo e farelo de
farinha de trigo), e os preços a praticar, tendo-se concluído que o valor das vendas de farinha de trigo e farelo de trigo, poderá atingir o montante global de 132.585.624,00 Dólares Norte-Americanos no Ano 4, e Seguintes, destinando-se basicamente ao
mercado interno. O projecto proporciona uma capacidade remuneradora boa, permitindo o auto – financiamento e a liquidação dos compromissos financeiros assumidos, sem constrangimentos. 

Os indicadores TIR, VAL, PRC e VAB, asseguram a viabilidade e a solvabilidade financeira, com taxas de rentabilidade boas para o tipo de investimento e pressupostos considerados, não deixando dúvidas sobre o interesse na implementação
do projecto.

Moagem de Farinha de Trigo 81 Estudo de Viabilidade Técnica, Económica e Financeira No domínio social, o projecto contribui para uma maior oferta de emprego que poderá
atingir 190 postos de trabalho directos no Ano 4 e seguintes, e para uma melhor distribuição de riqueza.
O projecto admite até 9,025% de variações negativas no preço de venda dos produtos
do portfólio, continuando a garantir a viabilidade económico-financeira.
O contributo directo da implementação do investimento para o OGE é relevante, pois em 10 anos de actividade, poderá ser canalizados para os cofres do Estado, um montante mínimo, correspondente a 12.602.212,01 Dólares Norte - Americanos relativo a vários impostos e contribuições gerados pela actividade (Imposto de Selo, Segurança Social, IRT, direitos de importação), para além do montante potencial de 51.805.104,15 Dólares Norte-Americanos relativo a Imposto Industrial, como se depreende das contas de exploração previsionais, num total de 64.407.316,15 Dólares
Norte - Americanos. 

Conclui-se que o projecto de investimento na implementação de uma moagem de trigo, a promover pela sociedade comercial KIKOLO – SOCIEDADE INDUSTRIAL DE
MOAGEM, S.A., na localidade do Cacuaco, Província de Luanda, é viável, quer no sentido técnico e social, quer económico e financeiro.